Living Alone

agosto 11, 2010

Que tédio..

Filed under: Mimimis — cicybretz @ 8:04 pm
Tags:

quero voltar pra casa dos meus pais.

Mentira. Quero ter a vida que eu tinha na casa dos meus pais, morando sozinha. Difícil né? Talvez se eu ganhar na mega-sena, se alguém descobrir meu enorme talento para fotografia ou arrumar um marido rico… Prefiro a segunda opção.

Estou entendiada de viver sem dinheiro. Não posso mais comprar roupas, cd’s, filmes, biscoitos, sapatos, etc, etc… Aliás, nem carro eu tenho mais. Qual a graça de viver sem isso? Nenhuma. Pior ainda do que não ter dinheiro é trabalhar e estudar o dia inteiro para num futuro, tão tão distante, TALVEZ ter dinheiro.

Então, caros coleguinhas, quando vocês vierem reclamar do meu mau humor favor lembrar que eu sou uma FODIDA na vida. É melhor nem reclamar.

maio 25, 2010

Sempre assim…

Filed under: Variados — cicybretz @ 6:00 pm

Quanto tempo, hã?

Esse fim de semana fui para a casa dos meus pais (estranho falar isso) em Vitória. Foi bom. Estava com saudades deles, da minha irmã, do meu cão e da minha Mumu. Mas, não demorou nem 24 horas para eu me entediar. Se não fosse a Bê para sair comigo, acho que eu teria definhado na minha cama.

Mas essa viagem me serviu para uma coisa: perceber que eu nunca estou satisfeita com nada. Eu não gostava de Vitória, estou de saco cheio do Rio e provavelmente quando for para Nova Iorque vou achar um tédio. E não é só com lugares que eu sou assim. Sou exatamente igual com as pessoas. Me canso muito rápido. Desisto mais rápido ainda, antes mesmo de me cansar por completo.

Uma pena, mas, não vou mudar.

março 17, 2010

Não prometa o que você não pode cumprir…

Filed under: Variados — cicybretz @ 8:43 pm

Oi. Meus fins de semana tem sido um grande erro. Fim.

Tá, não é fim, mas realmente to deprimindo. TODO final de semana que eu me proponho a sair, CHOVE. Mas não é pinga, nem serena, muito menos chuvisca. CHOVE mesmo. Com todo ódio e rancor. Mas o pior é que eu tenho plena consciência que a culpa é minha.  Sim, eu tentei ser mais esperta que Deus e aí deu nessa maré de azar. Tudo começou antes da final da taça Guanabara, quando eu estava desacreditada depois de um belo 6X0 que o fogão tomou no rabo. Vocês precisam saber de um detalhe sobre minha personalidade: eu tenho o péssimo hábito de colocar minha alma à venda pelo Botafogo. Pois bem, no auge do meu desgosto futebolístico resolvi prometer em alto e bom som que eu correria de calcinha numa rua movimentada da lapa caso meu amado time derrotasse o flamengo na semifinal. E não deu outra: nós ganhamos. Nem precisei esperar muito para sentir os olhares me cobrando a promessa. Não hesitei em levantar minha jardineira e correr com o bumbum ao vento.  Nada muito constrangedor porque meu ex (que não era ex ainda) me acompanhou na jornada com a bunda de fora também.

Mas, como dizem por aí: o problema de jogar e ganhar é que você vai querer jogar de novo até ganhar. Rá! Enchi-me de orgulho, bati no peito e cheguei a seguinte conclusão: quando a promessa for boa mesmo é Vitória garantida pro Botafogo. E logo tratei de fazer a promessa da final: Se o fogão ganhar eu paro de fumar até a final do campeonato. E da-lhe El Loco! Win win! Vitória fácil encima do pobre Vasco (que foi boa pra calar a boca de quem tava cantando 6X0 ainda). Chorei (obvio, sou botafoguense), gritei, corri e xinguei pra caralho. Que noite feliz. Mas o dia seguinte chegou e com ele a necessidade de cumprir minha promessa. Aí, caiu pra mim. Eu JURO que tentei, em vão… consegui ficar alguns dias sem meu cigarrinho noturno. Mas não deu pra agüentar. Logo, eu, gente boa que sou, resolvi ser sincera com o cara lá de cima e fui bater um papo com ele:

“Deus, veja bem minha situação: Eu sei que te prometi uma coisa, mas, admito minha fraqueza e assumo que não vou conseguir cumprir. Então antes de falhar miseravelmente no meu objetivo resolvi falar com você. Para não ficar no descrédito total vou te fazer uma proposta. Troco o cigarro pela coca-cola. Seja compreensivo porque vai ser um esforço de quase igual importância. Ham, ham?”

E me dei por satisfeita e dei a proposta como aceita. Ledo engano… Desde então eu me fodo mais do que o normal e chove todos os dias em que eu penso em colocar o pé fora de casa. Enfim, essa história tem varias morais. Escolham a que melhor se encaixar na vida de vocês. See ya!

março 12, 2010

Morar sozinha é…

Filed under: Morar sozinha é... — cicybretz @ 2:42 pm

Me perder no meio da bagunça mas ainda assim não ter a dignidade arrumar NADA. Afinal, eu sei onde está cada coisa. Ok… é mentira. Achar coisas está impossível.  Mãããe, vem me ajudar! 😦

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Não conseguir tirar minha vodka e meu frango do congelador porque ele virou um iceberg. Eu não sei como descongela isso. To com fome e quero beber. FUUUU D:

março 11, 2010

Mimimi

Filed under: Mimimis — cicybretz @ 5:50 pm

Olá.

Não estou nos meus melhores dias. Vontade zero de escrever qualquer coisa. Estou muito decepcionada comigo, por vários motivos. Odeio estar errada, mas no final foi isso. Fui avisada, alertada e aconselhada. Mas minha empáfia não me deixou ver o que estava diante de mim o tempo inteiro.  Desculpa, eu não consigo ser egoísta e pensar só em mim (embora tenha ouvido exatamente o contrário). Desculpa, eu sou mulherzinha e tenho vontades de mulherzinha. Desculpa se eu sou fácil de levar embora seja difícil de manter. E assim será, não vai mudar, nunca.

Pronto, acabou o momento emo. Amanhã tem cerveja e tudo vai ficar bem. Depois conto para vocês o desenrolar do fim de semana. Espero que seja melhor do que o anterior.

Nota: as desculpas são para mim mesmo.

março 9, 2010

Segura esse azar!

Filed under: Uncategorized — cicybretz @ 1:32 pm

Depois de um fim de semana desastroso, cá estou eu. Ou o que restou de mim. Quando eu digo que ser só azarada não tem graça, minhas amigas riem. Tem que ser MUITO azarada. E assim sou eu. Devo agradecimentos também à minha mãe que rogou praga (que sempre pega) porque eu não fui para Vitória. Valeu aí!

Não vou contar em detalhes sórdidos o que aconteceu para ninguém cortas os pulsos. Mas resumindo: Briguei com o namorado, choveu pra caralho (isso estragou qualquer expectativa de sair), eu quase coloquei fogo em casa (sem querer, claro) e a TV queimou. Que beleza. E de quebra não consegui assistir o programa que eu gravei pro canal Brasil. CU!

Porém, no meio de tanta desgraça uma luz no fim do túnel surgiu: Cora chegou. Minha melhor amiga (ao lado da Mumu) veio para me salvar. Ela já organizou todas as minhas contas e fez comida para mim. Amém.

março 3, 2010

Nem tudo são flores..

Filed under: Uncategorized — cicybretz @ 11:43 pm

São 20:40 e eu cheguei em casa há poucos minutos. Estou sentadinha na minha varanda ouvindo o pai da Bru (minha amiga que mora comigo) consertando nosso fogão vergonhoso.

Eu ia fazer um post apresentando os personagens sobre os quais vocês vão ouvir falar com freqüência aqui. Mas bateu uma preguiça só em pensar. Fica pra próxima! Vou contar uma coisa, que pensando agora é muito engraçada mas na hora me fez ter ódio no coração, que aconteceu anteontem.

Era um dia frio, chuvoso e bastante depressivo para mim (de verdade). Eu saí mega tarde do trabalho só pensando em chegar ao meu lar. Quando entrei no ônibus lembrei que eu tinha que passar no banco para sacar dinheiro e depois ir a outro banco depositar o aluguel. Por vários minutos eu tentei fingir que não havia lembrado disso mas minha boa índole falou mais alto. O Banco do Brasil (que é meu banco) não é longe daqui mas também não é super perto. Eu saltei do ônibus puta da vida e fui completar minha tarefa. Saquei uma grana e vim andando até o outro banco, morrendo de medo de ser assaltada e me foder. Na hora de completar o depósito recebo a seguinte mensagem: Número de conta inválido. “Caceta de agulha” foi tudo o que passou na minha cabeça. Minha vontade era de matar o infeliz que me fez ir ao banco, num dia de merda, a troco de NADA. Ok. Recolhi-me a minha insignificância e vim para casa debaixo de uma chuva torrencial. Quando dobrei a esquina descobri, da pior forma, que existe uma igreja de alguma religião não identificada em um prédio da minha rua (inclusive os ouço berrando nesse momento). Prevendo o azar que sempre me acompanha, abaixei a cabeça e tentei passar despercebida, em vão.

– Oi moça, você quer aceitar Jesus hoje?

– Não, obrigada (respondi como quem nega um panfleto).

– O fim se aproxima, aceite Jesus. Aleluia!

Minha única reação foi sorrir. Não por simpatia, mas sim pelo rancor que me consumia naquele momento. Poucas coisas me irritam mais que religiosos escandalosos tentando me recrutar para suas respectivas seitas. Segui serenamente para o supermercado que tem aqui na porta para comprar comida, uma vez que a Bru já tinha me mandado torpedo avisando da fome de 1000 mendigos que ela sentia (observem como eu posso ser legal. Na hora de pagar a caixa me pergunta se eu já tinha feito o cadastro para acumular pontos. Eu disse que não e recebi de volta um olhar de represália. Que coisa não? Mas como ela é muito legal resolvi somente sorrir, dessa vez por mera simpatia. Saindo do mercado tive a brilhante idéia de comprar uma coxinha no Fornalha (que inclusive é a melhor da galáxia). Óbvio que eu não ia passar ilesa por lá.

-Você gosta de Evanescence?

– Oi?

– É, eu sempre te vejo passando e acho que você gosta de Evanescence.

– Não, eu não gosto.

– Mas é rock pesado, você não gosta?

– Eu gosto de rock pesado mas não de Evanescence.

– Ah, você gosta daquelas coisas de caixão né? Você é doidona. Seu cabelo é colorido!

– É.

Nessa hora o atendente da lanchonete já estava quase chorando de rir da situação. Eu não sei se eu fiquei mais impressionada do maluco que mora na rua conhecer Evanescence ou se foi pela minha idiotice de dar corda pra ele. Enfim, peguei minha cochinha e vim para casa certa de que nada de mal me aconteceria novamente, afinal, a porta do Fornalha é colada com a da minha casa.

De fato, eu cheguei meio inteira em casa. Tomei um banho super quente, acendi um cigarro e fui ver Jornal Nacional. Me senti uma dona de casa esperando o marido chegar. Preciso fazer isso mais vezes.

Agora cansei de escrever. Vou tomar banho, fumar, ver BBB e domir.  See ya!

março 2, 2010

Olá mundo.

Filed under: Variados — cicybretz @ 3:17 pm

Acho que você, meu amiguinho, que está entrando aqui já está cansado de me conhecer. Mas vou me apresentar, caso haja alguém novo espiando.

Eu sou a Cinthya. Com THY. Por favor, não esqueçam disso.  Tenho vinte e poucos (bem poucos) anos de idade e acabei de me formar na faculdade de fotografia, lá em Vila Velha, no ES. Até quatro meses atrás, eu morava com meus pais, minha irmã e minha cachorra e era uma jovem feliz e, de certa forma, mimada. Tinha meu carro, minha casa, minha piscina, meu vide-game, minha geladeira lotada de coisas gostosas e meu dinheiro para gastar com qualquer porcaria. O que mais eu poderiar querer da vida?

Aí é que está. Eu sempre quero o que eu não tenho. Sempre quero mais. E quando o mais chega, eu enjoo e decido voltar para o menos. Então, decidi sair do meu conforto e vir parar aqui no Rio de Janeiro. Em pouco tempo já percebi que o quanto eu me fodi foi só o começo. Morar sozinha, sem papai e mamãe é muito mais complexo do que eu imaginei. E esse blog está criado para dividir com vocês todas essas frustrações. Assim, eu não surto sozinha.

See ya!

Blog no WordPress.com.